O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Classe média? Hello, é classe C




Pessoas, vou dizer para vocês: a classe média é a bola da vez. Crescendo em função da oferta de crédito e do aumento do conhecimento (já repararam o número de escolas técnicas e faculdades que cresceram nos últimos anos?), eles e elas não param de querer consumir. Eba, então.

Estive numa palestra da Editora Abril, que apresentou a pesquisa “A mulher da classe C, Hábitos de Consumo” e registro aqui, alguns pontos:

Perfil da classe C:

- Os filhos estão estudando mais que os pais, investimento em educação (80% tem mais escolaridade que os pais) = pessoas mais críticas ao consumo e ao que consomem
- A imagem da classe C está muito similar a classe B = quebra de paradigmas, comunicar maior valor agregado
- Em 1993, a classe C era 30% da população; em 2009, é 52% = mais da metade da população
- De 2003 para 2008, 20 milhões de pessoas subiram p/ a classe C = grande filão de consumo
- 36 milhões de pessoas (no BR) subirão da classe C até 2014 (projeção FGV) = é muita gente com desejo de consumo!
- O BR é a nona economia no mundo; até 2050, passará a QUARTA! (by Goldmann Sachs) = consumo!!!
- A INCLUSÃO está acontecendo pelo aumento de estudo e as facilidades de crediário = pessoas mais fiéis pela relevância da marca

Dados da pesquisa:

Amostra: 925 questionários via web + 20 análises comportamentais in loco (vivencial), realizada de 09 a 11/2009, com mulheres de 20 a 49 anos, da classe C (considerada média salarial até R$ 4.806,00 (renda familiar))

Mulher da classe C nos últimos 05 anos:

- Passou a se dar muito mais valor, na filosofia “EU ME AMO”
- A internet passou a ser uma ferramenta de pesquisa e relacionamento
- Nivel de exigência e frustração aumentaram: sabe o que quer, quando quer e como quer
- Quer ouvir a verdade na comunicação
- Está mais consciente do investimento da compra e desconfiada/atenta com relação aos produtos
- A partir de 2010, irá investir mais em turismo e decoração
- 15% acham a casa bonita, mas 81% vai melhorar a casa, deixando-a mais bonita e aconchegante
- O que ela mais gosta de comprar? Roupa, acessórios e perfumes
- O que ela não busca: a última moda
- O que ela busca: mais qualidade no básico e roupas que expressam seu estilo
- Marca serve como aval para o acerto na compra: fortalecimento do branding
- Busca a saúde e bem estar
- Descobrindo novos ingredientes, ampliando e qualificando o cardápio
- Alimentos prontos: facilidade e rapidez para se dedicar a ela mesma e a casa, mas a casa como extensão de sua personalidade
- Benefícios dos produtos: selos de qualidade = saúde e atestado de produto ecologicamente correto = garantia de futuro
- Esse “novo mundo” não é o mundo original dela; logo, quem a ajuda a entendê-lo, estará com ela para sempre = a marca terá relevância
- Dá muito valor ao espaço onde vive
- 47% vivem em casa própria; 53% em casa alugada; 65% gostam da sua casa
- Quer permanecer no bairro: (pertencimento e conveniência) = ações locais tem relevância
- 81% não sairiam do seu bairro, mas melhorariam a casa
- Sonhos de consumo com relação a casa: 87% querem incrementar a cozinha; 64% aumentar cômodos; 49% fazer reformas; 28% ter um jardim
- Objetos para deixar a casa mais bonita (desejo de compra): 54% roupa de cama; 53% sofá/poltrona/capa sofá; 50% cortinas; 46% armários; 42% tapetes; 40% quadros
- Marcas premium em menor escala, mas estão lá, na casa dela...
- Esteticamente, a classe C e B estão muito parecidas... isso denota o mesmo desejo de compra!

O que acontece quando mudam a classe social?

- Quer os desejos satisfeitos...
- É aí que entra a marca!!!
- Perceber a oscilação da classe B e C: são QUASE as mesmas!
- Classe C tem bom gosto, tem visão, analisa, critica e investe (a “bala na agulha” é uma questão de conquista de crédito de $).
- E é fiel, quando a marca tem relevância para ela.

Lembrando:

- A classe C é a porta de entrada para a classe B, porque a grande tendência mundial, é a classe C tornar-se B a médio-longo prazo; uma vez a conquistando, estamos com ela sempre. Se não fosse assim, não existiria tanta marca querendo entrar no Brasil...
- O consumidor dessa classe é apaixonante! Gera muito trabalho de atendimento, marketing, comunicação, mas é mais fácil de medir sua satisfação, porque além de ser mais fiel, é mais verdadeiro nas suas análises.

Perceba as mudanças do mundo. Sem preconceitos. Ou pré-conceitos.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Dicas para buscar job




Sabe, a gente passa por diversas situações na vida, que vão nos dando experiência. E numas de seguir a linha do Max Gehringer, vou dar as minhas dicas, tá bem? Você tem todo direito de segui-las ou não. A escolha é sua. Veja:

1) Não se desespere. Sair de uma empresa é um novo começo. Ainda mais, quando somos demitidos e podemos guardar um dindim da indenização, e ficar um pouco mais tranquilos. Mas não gaste todo seu dinheiro, coloque um pedacinho da rescisão na poupança.

2) Não acumule aqueles sentimentos de dor de barriga ou desespero. Sair de uma empresa é um novo começo. UMA OPORTUNIDADE DE REVER NOSSA VIDA. Nossos valores e dedicações. É um ciclo que se fecha, mas UM OUTRO QUE COMEÇA. Isso é sério e verdadeiro.

3) Relaxe, mas acorde cedo, de preferência, mais ou menos no mesmo horário que sempre acordava. Abra o computador, entre em sites, veja emails, olhe o programa da Ana Maria Braga (Mais Você), veja alguns desenhos, prepare um almoço gostoso prá você.

4) Faça caminhadas. VEJA o mundo. Abra a mente.

5) Reveja seus contatos. Mande um email a todos, dizendo que você está alçando outros vôos na vida, e que se abre a novas oportunidades, disponível ao mercado. Peça apoio. SEJA HUMILDE, MAS NÃO MENDIGUE: O PRÓXIMO PODE SER QUALQUER UM DE NÓS. Diga que ficará muito feliz se seus amigos enviarem seu curriculo como semente.

6) Lembre os outros de lembrarem de você. Networking sempre é muito forte na hora de sermos recontratados, acredite.

7) Envie seu curriculo a todas agências de RH. PLANTE-SE. E espere.

8) Veja o Caderno de Empregos da Zero Hora, e mande curriculos para as vagas que tem a sua cara, E MESMO AQUELAS QUE NÃO TEM TANTO ASSIM. Quem sabe, é uma oportunidade de conhecer novas possibilidades.

9) Acredite: em breve, você vai rir dessa situação.

10) Não se desespere e aceite a primeira oferta, se ela não for boa. Melhores virão. Não se deixe desanimar, vá alegre e feliz aos processos seletivos.

Não sou headhunter, mas mandei esses conselhos prá uma amiga, gostei, e estou registrando no mundo, através de meu blog.

Boa sorte a todos!

Ah, e lembre-se: você não é pouca coisa. Não se deixe esmagar como uma formiguinha!

terça-feira, 11 de maio de 2010

Estou de férias: posso tudo? E o Bullying?




Sabe de uma coisa? Tem gente que justifica uma má atitude porque está de férias. Porque é feriado. Porque está passeando. Porque é Natal. Porque é Carnaval. Porque está numa festa. E ridicularmente, porque está relaxando. Como se caráter tirasse férias ou saísse prá passear. Fazer compras, quem sabe. Talvez saiu prá apertar o botão do f.o.d.a. – s.e. Quem sabe.

Como assim? Atitudes tiram férias? Não tô entendendo... claro que não, né?!!!!

E essa de que crianças podem fazer de tudo, em função da espontaneidade, pode sempre? Uai, não confunda espontaneidade com falta de educação, por favor.

Com licença, mas veja se isso tem cabimento: http://wp.clicrbs.com.br/celiaribeiro/2010/05/09/na-sessao-do-filme-de-alice/?topo=52,2,18,,170,77

Concordo plenamente com a Célia Ribeiro... plenamente.

E será que o Bullying colabora nessa situação?

Coisa feia, gente. Sem lógica, explicação ou motivo real, a não ser, uma incipiente loucura social.

Veja, da internet:

O cientista sueco Dan Olweus define bullying em três termos essenciais:
- o comportamento é agressivo e negativo;
- o comportamento é executado repetidamente;
- o comportamento ocorre num relacionamento onde há um desequilíbrio de poder entre as partes envolvidas.

O bullying divide-se em duas categorias:
- bullying direto;
- bullying indireto, também conhecido como agressão social

O bullying direto é a forma mais comum entre os agressores (bullies) masculinos. A agressão social ou bullying indireto é a forma mais comum em bullies do sexo feminino e crianças pequenas, e é caracterizada por forçar a vítima ao isolamento social. Este isolamento é obtido através de uma vasta variedade de técnicas, que incluem:
- espalhar comentários;
- recusa em se socializar com a vítima;
- intimidar outras pessoas que desejam se socializar com a vítima;
- criticar o modo de vestir ou outros aspectos socialmente significativos (incluindo a etnia da vítima, religião, incapacidades etc).

O bullying pode ocorrer em situações envolvendo a escola ou faculdade, o local de trabalho, os vizinhos e até mesmo países. Os atos de bullying configuram atos ilícitos, não porque não estão autorizados pelo nosso ordenamento jurídico mas por desrespeitarem princípios constitucionais (ex: dignidade da pessoa humana) e o Código Civil, que determina que todo ato ilícito que cause dano a outrem gera o dever de indenizar. A responsabilidade pela prática de atos de bullying pode se enquadrar também no Código de Defesa do Consumidor, tendo em vista que as escolas prestam serviço aos consumidores e são responsáveis por atos de bullying que ocorram nesse contexto.

Na real, estou colocando aqui dois contrapontos:
1) A agressão espontânea gerada pela...
2) ... falta de atitude dos pais, professores e líderes.

Acredito que, aos nos omitirmos, estamos criando livremente os futuros assassinos por natureza. Contra a nossa própria natureza.

Na boa, acho que ás vezes, é legal apertar o botão acima, da ilustração. Mas não nesse caso. Natural Born Killers never, and never and never.

domingo, 9 de maio de 2010

Qual o maior patrimônio do futuro?




Estamos numa época estranha. Ou talvez, todas tenham sido estranhas, sei lá. Mas o fato é que existem inversões de valores, momentos esdrúxulos, situações irreais.

Mundo Bizarro.

Aliás, tem midias que sobrevivem disso, de coisas realmente muito estranhas.

Veja um pouco de estranhezas do mundo: http://www.sitedecuriosidades.com/mundo_bizarro

Pois bem. Mas cheguei nesse texto por uma questão que levantei entre um grupo de pessoas: qual será o maior patrimônio do mundo, no futuro?

Algumas respostas: o amor, a esperança o carinho entre as pessoas, a família, a água, o sol, as crianças, o dinheiro, eu mesmo (isso foi a resposta de um amigo meio egoísta, rsssss). Todas respostas muito boas.

Mas naquele momento, achei relevante a resposta dada por euzinha (que feia, eu: auto-promoção.......rsssss): espaço. Mas não falo aqui de espaço sideral, não. Falo de espaço físico, lugar onde a gente e as coisas da gente ficam paradas, ou em movimento. Estacionamentos. Dirigir no trânsito. O meu espaço no escritório, o seu espaço em casa, espaço do metro quadrado.

Nossa, eu amo dirigir. Amo mesmo. Mas está ficando cada vez mais difícil, não concorda? Não pelo dirigir em si, mas pelo espaço prá dirigir. O trânsito está cada vez mais lento, não importa a hora do dia. E essa de que “cidade grande” tem movimento em excesso, já não vale mais: em qualquer lugar está uma loucura conseguir dirigir. Atributo antes, somente de cidades poderosas como São Paulo, por exemplo.

Por isso e outras, acredito que espaço será o (ou no mínimo, UM DOS) maior patrimônio do futuro.

Sei lá, eu não tenho a solução. Mas considero vital prá nossa sobrevivência (inclusive a emocional... já viu “Um dia de fúria”?), criarmos soluções. Rápido, please.

Pensemos já em soluções. Quem sabe uma visitinha na ficção científica do desenho da Família Jetsons? Você acha louco o modo de se transportar, no futuro, tipo, tele-transporte? Acho que eles, os Jetsons, achariam muito mais louco o mundo que vivemos hoje... E mais prá pensar: http://wp.clicrbs.com.br/paulosantana/2010/06/11/engarrafou-total-2/?topo=13,1,1,,,13

terça-feira, 4 de maio de 2010

O preconceito é contagiante




Existem muitos tipos de preconceito. Vários. E todos, com certeza, são destrutivos. Delimitam espaços. Diminuem mentes. Dilaceram corações.

O preconceito limita atitudes que poderiam fazer a diferença no mundo, e gera ações que podem acabar com o mundo de muitos.

Tristes cabeças pequenas.

Tristes pessoas que não admiram o diferente, o corajoso. Aquele que rompe os limites da mente humana.

E o grande problema, é que pessoas limitadas, são limitantes. O preconceituoso contagia o ambiente, as atitudes ou não atitudes de outros.

Eu admiro o Paulo Lima, que é fundador da editora e da revista Trip. Além de defensor da natureza, escreve muito bem. E veja o texto que escreveu, sobre o corajoso e despreconceituoso (é assim que escreve?) Bial:


Tem que ter coragem


O que você vê na foto? Um Abelardo Barbosa pós-Twitter? Um sujeito acuado e só? Uma figura capaz de encarar qualquer monstro, interno ou externo? Sim, é possível criticar. É fácil, até. Qualquer sujeito que se propõe a pôr a cara numa janela para dezenas de milhões de pares de olhos observarem paga um preço digno do orçamento de Eike Batista. Se for um cara vindo do protegido e incensado campo das letras, então... Há espaço para todo calibre de artilharia. Tudo vira alvo. Do suor debaixo dos braços às citações e poemas em excesso ou fora de contexto. Do chinelo de couro à posição do braço esquerdo sobre o quadril. De supostas piadas infames a comentários duvidosos. Todos os sinais físicos e mentais do elemento são escrutinados pelo mundo, passam num scanner implacável, uma potentíssima máquina de tomografia que examina cada milímetro e se imagina capaz de adivinhar sentimentos, medos, angústias e defeitos. Pedro Bial, disso ninguém parece discordar, tem coragem. Cobrir a guerra do Golfo, encarar presidentes, beduínos e outras figuras escoladas em entrevistas em rede nacional, falar aberta e profundamente sobre tudo que o cerca com clareza e fundamento, ter quatro ex-mulheres e mesmo topar se vestir de Chacrinha ou apresentar a versão nacional do reality show mais criticado e assistido do mundo... ao que parece, ele tira tudo isso de letra, mesmo que às vezes, como declarou recentemente numa de suas boas entrevistas, com o auxílio luxuoso de comprimidos de Rivotril. Coragem mesmo é preciso para enfrentar o preconcebido, o primo-irmão da ignorância que, todos sabem, é como um lutador profissional, frio, agressivo, muito preparado, uma força quase impossível de vencer.


Na verdade, acho que o Paulo, o Paulo da Trip, estava pensando em quanto o preconceito limita as pessoas, quando escreveu esse texto. Limita as pessoas até mesmo para limitarem-se a parar de criticar.

E creia: não se trata de defender esse ou aquele programa; trata-se em respeitar a coragem das pessoas em exporem-se fora da sua realidade e fora da imagem que elas mesmas construíram prá elas mesmas. E o Bial não se limitou. Por isso, não seja preconceituoso: respeite a diversidade de culturas.

domingo, 2 de maio de 2010

O resgate da deusa interior




Assisti uma palestra sobre esse tema, dias desses. E uma das questões levantadas foi a necessidade vital da busca interior da alma natural da mulher, como uma parte da missão nossa de cada dia: a busca do sagrado feminino. Parece machista? Ou feminista? É não, já explico, e você verá que não é. Falou-se dos valores autenticamente femininos e etc e tal.

Foi apresentada uma versão de três papéis:

Da irmã, sendo a principal característica tornar-se isento de preconceitos.
Da esposa, a fidelidade aos princípios e a ética.
Da mãe, a busca do amor incondicional.

Resgatar o valor do feminino: a doçura ao contrário da amargura; a paciência ao contrário da impaciência; a elasticidade ao contrário da rigidez; a comunicação ao contrário da fantasia do irreal; a capacidade de reconfortar (a generosidade) ao contrário da cobrança.

O que nos atrapalha, perguntou a palestrante? E ela respondeu: a instabilidade, os estados depressivos, a fragilidade, o egocentrismo sentimental e o conservadorismo.

Esse assunto é antigo, tão antigo que o escritor e poeta francês Victor Hugo, nos idos de 1800, já escreveu:


O Homem e a Mulher

O homem é a mais elevada das criaturas.
A mulher é o mais sublime dos ideais.

Deus fez para o homem um trono.
Para a mulher, um altar.
O trono exalta.
O altar santifica.

O homem é o cérebro; a mulher é o coração.
O cérebro fabrica a luz; o coração produz Amor.
A luz fecunda.
O Amor ressuscita.

O homem é forte pela razão.
A mulher é invencível pelas lágrimas.
A razão convence.
As lágrimas comovem.

O homem é capaz de todos os heroísmos.
A mulher, de todos os martírios.
O heroísmo enobrece.
O martírio sublima.

O homem tem a supremacia.
A mulher, a preferência.
A supremacia significa a força.
A preferência representa o direito.

O homem é um gênio; a mulher, um anjo.
O gênio é imensurável; o anjo, indefinível.
Contempla-se o infinito.
Admira-se o inefável.

A aspiração do homem é a suprema glória.
A aspiração da mulher é a virtude extrema.
A glória faz tudo grande.
A virtude faz tudo divino.

O homem é um código.
A mulher, um evangelho.
O código corrige.
O evangelho aperfeiçoa.

O homem pensa.
A mulher sonha.
Pensar é ter no crânio uma larva.
Sonhar é ter na fronte uma auréola.

O homem é um oceano.
A mulher um lago.
O oceano tem a pérola que adorna.
O lago, a poesia que deslumbra.

O homem é a águia que voa.
A mulher é o rouxinol que canta.
Voar é dominar o espaço.
Cantar é conquistar a alma.

O homem é um templo.
A mulher é o sacrário.
Ante o templo nos descobrimos.
Ante o sacrário nos ajoelhamos.

Enfim, o homem está colocado onde termina a terra.
E a mulher onde começa o céu.


Não sou uma defensora voraz do que aqui estou trazendo, nesse texto. Tenho dúvidas sobre o todo desse assunto, mas também tenho muita simpatia. De toda maneira, no mínimo é interessante e tem relevância o que é manifestado nesse site, veja e conclua por você: http://www.terceiromilenionline.com.br/86/feminino.php

E não venha me dizer que sou feminista ou machista. Apenas observo os fatos e tenho minhas conclusões. E uma coisa é fato, e acho que ninguém vai discordar: o mundo precisa de reparos emocionais urgentemente. Precisamos rever nossos conceitos e atitudes coletivas. O que fazemos de mal, se volta contra nós mesmos. Causa e efeito.

O problema é que pessoas tem julgamentos diferentes, valores diferentes, e é por isso que o caos acontece. Reveja seus valores. Seja justo. Não agrida por agredir. Reserve suas energias prá “brigar” por coisas realmente relevantes.

Meninas, e para descontrair, descubra que deusa é você (ou meninos, descubram a deusa da SUA deusa): http://yahoo.estrelaguia.com.br/astrologia/artigos/1506/

E veja aqui, um excelente blog que trata de assuntos bem legais: http://www.movimentorosa.com/?pg=blog

sábado, 1 de maio de 2010

A igreja enfrenta seus demônios. E a gente?




Desde criança gosto de filmes de ficção cientifica. E assisti alguns deles que remetiam a possibilidade de que no futuro, alguém teria o poder de apertar o botão do BUMMMMM: exploda mundo.

Olha, vou postar um texto que pode ser polêmico, mas sinceramente, não posso deixar de dar minha opinião. Estou falando da pedofilia, que já é abominável por si só, imagina... na igreja. Praticada por gente “da fé”, não “de fé”, pelos líderes das entidades. Gente, isso é inaceitável.

O que é pedofilia, segundo a internet: A pedofilia (também chamada de paedophilia erotica ou pedosexualidade) é a perversão sexual na qual a atração sexual de um indivíduo adulto ou adolescente está dirigida primariamente para crianças pré-púberes (ou seja, antes da idade em que a criança entra na puberdade) ou para crianças em puberdade precoce.

Horrível, abominável, sem palavras. Mas o que descobri, lendo a respeito, é que além de existirem pedófilos, existem movimentos que os defendem, alegando ser uma orientação sexual. O que??? Impossivel. Sem palavras, de novo.

E o pior, é pensar que a igreja tem alguns pedófilos em seu mundo “corporativo”. E ela (a igreja católica) está alegando ser o exorcismo uma arma contra a pedofilia, e vai treinar alguns sacerdotes para a prática do exorcismo. Veja mais aqui: http://www.sinal.org.br/informativos/sumularevistas/sumularevistas.asp?codigo=64378&tema=&tipo=R&data=&dt_dia=24&dt_mes=3&dt_ano=2010

Acho tão repugnante esse assunto, que prefiro não falar mais. Estou falando de pedofilia. Seja contra, faça contra, lute contra. Não aceite, não defenda, fique indignado contra isso. Sem possibilidade de defesas ou justificativas.

O maior demônio pode estar muito perto da gente. Observe e denuncie o que você imagina ser abuso. Crianças são o futuro do mundo. Ao defender UMA criança, você pode estar defendendo o futuro de muitos, inclusive o seu.

Porque nunca se sabe de qual criança partirá a atitude de não apertar o botão do EXPLODA MUNDO.

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email