O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Diferenças orientais e ocidentais





Definitivamente, os orientais dão um banho de atitudes na gente, né mesmo? E as diferenças não estão somente nos olhos puxadinhos... Veja essa notícia:



Japoneses devolvem R$ 125 milhões achados após tsunami

Foram centenas, possivelmente milhares de cidadãos honestos, que encontraram esse dinheiro em 5,7 mil cofres de casas e empresas

E mais essa:

Orientais vêem mundo diferente dos ocidentais

O modo de pensar dos orientais e dos ocidentais não resulta apenas em diferenças de costumes: ele muda a maneira de enxergar o mundo. Ocidentais tendem a focar a atenção em objetos centrais, já orientais se concentram no conjunto.

Foi comprovado que as diferenças culturais entre povos ocidentais e orientais vão além da escrita e dos costumes: eles enxergam, literalmente, o mundo de forma diferente.

Como a filosofia ocidental condiciona o indivíduo a ser independente, ele tende a focar em objetos centrais. Já os orientais, que pregam a interdependência, costumam enxergar a cena como um todo. Portanto, é possível afirmar que os ocidentais enxergam menos, mas com mais detalhes, e que os orientais têm uma visão mais ampla.

Para confirmar a tese, os cientistas realizaram um teste com duas etapas. Na primeira, os voluntários deveriam estimar o tamanho de uma reta isolada. Na segunda, foi pedido que determinassem o tamanho da reta em relação ao de um quadrado. Os ocidentais tiveram facilidade com a reta isolada, já os orientais foram melhores ao compará-la com o quadrado.

Isto não se dá por uma diferença genética. A imersão do indivíduo em uma determinada cultura possibilita que ele desenvolva mais algumas partes do cérebro, o que causa esta diferença da visão. Se um oriental for viver no ocidente ou vice e versa, a forma de enxergar pode mudar.

A pesquisa, publicada no jornal Psychological Science, usa os termos “ocidental” e “oriental” de maneira simplória: ocidentais seriam os americanos, australianos e europeus, bem como povos de outros países com cultura individualista, enquanto orientais seriam os japoneses, chineses e koreanos. As outras etnias não foram pesquisadas a fundo.

Em janeiro, cientistas liderados por Trey Hedden e John Gabrieli mostraram que maneiras de pensar profundamente enraizadas pela cultura afetam o cérebro dos dois povos de maneira diferente até na hora de realizar tarefas simples. Em um estudo, os pesquisadores pediram para que os voluntários escolhessem uma caneta entre cinco: eram quatro vermelhas e uma verde. A maioria dos orientais escolheu a vermelha, enquanto os ocidentais ficaram com a verde.

Em outro experimento, crianças com 8 anos de idade tiveram que montar um quebra-cabeça. As ocidentais foram melhores em quebra-cabeças escolhidos por elas mesmas. Já as orientais tiveram um melhor desempenho quando montavam quebra-cabeças escolhidos por suas mães. Com esse resultado, os estudiosos notaram que as crianças criadas em uma cultura que preza a independência sentiam-se melhor quando exerciam seu direito de escolha. As asiáticas, por sua vez, acreditavam que suas mães escolhiam o melhor para elas.

“A cultura não muda a forma como você enxerga o mundo, e sim a maneira de interpretá-lo”, disse Gabrieli. Os cientistas acreditam que esta descoberta pode ajudar a compreender melhor as diferenças entre os dois povos e melhorar as relações, o que será cada vez mais importante no mundo globalizado.

(Publicado originalmente no site do jornal Tudo Bem em 18/03/2008)

E veja só:

• No ocidente a vestimenta para o luto é de cor preta, no oriente esta é branca.

• No ocidente reza-se para o exterior, Deus encontra-se nos céus, no oriente reza-se para o interior, para despertar o Deus que existe em nós.

• No ocidente escreve-se da esquerda para a direita, em muitos países do oriente a escritura é da direita para a esquerda.

• No ocidente a escritura forma a palavra por letra, no oriente se escreve palavra por palavra ou idéia por idéia.

• No ocidente as bandeiras são horizontais, já no oriente são verticais.

• No ocidente a roupa por muito tempo utilizada era a escura e opaca, no oriente era colorida e brilhante.

• As guloseimas das crianças do ocidente foram por muito tempo a base de sabores doces, no oriente os sabores são azedos, agridoces e ácidos.

• A alimentação ocidental é preferencialmente com base salina, a oriental é doce, amarga, ácida, inclusive na Índia provam-se os sete sabores a cada dia da semana.

• No ocidente corta-se a comida na mesa utilizando-se facas, no oriente toda a comida já é cortada adequadamente, não se utiliza faca na mesa.

• A música do ocidente é suave, no oriente é estridente.

• No ocidente dança-se com os pés e o corpo de maneira harmoniosa porém rígida, no oriente dança-se com todo o corpo inclusive com os ombros, olhos, boca, batendo os pés e mãos como nas danças indianas e chineses, etc.

• O calendário ocidental é solar, já o chinês é lunar.

• O ano novo chinês é variável entre o fim de janeiro até meados de fevereiro, o ocidental é fixo, 1 de janeiro.

• A astrologia ocidental é mais celeste que terrestre baseando se num zodíaco cósmico, a oriental é ao contrário, muito mais terrestre que celeste baseando se nos animais da terra (Feng Shui).

• No ocidente a maior parte dos idiomas são linguagens onde a pronúncia se apóia com o uso da língua, no oriente são guturais com apoio da garganta e sons nasais.

• No ocidente a medicina é do tipo química enquanto no oriente é energética tipo acupuntura, entre outras.

Leia mais em: Diferenças entre o ocidente e o oriente - Metamorfose Digital http://www.mdig.com.br/index.php?itemid=2893#ixzz1nDHAOyeu


O quanto podemos aprender com eles... os lindos e queridos orientais. Eu admiro essa cultura.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Novos hábitos mudam índices de inflação


Gentes, isso é bem importante, informação quente e oportuna, do momento. Não tem muito o que comentar, tem que acompanhar e prever conseqüências e comportamentos que mudarão no consumo. É se preparar e absorver as mudanças que já chegaram. Veja, encontrei na internet:



Institutos de pesquisas incluem nos cálculos do custo de vida as mudanças no padrão de consumo dos brasileiros



Os brasileiros estão gastando menos com alimentação, mas as despesas com serviços, como energia, água e telefone, aumentaram. Muitos tiveram de substituir a escola particular dos filhos pela rede pública, passaram a gastar mais com saúde e adquiriram novos hábitos, como usar pager, navegar pela Internet e assistir à TV por assinatura. As alterações na vida cotidiana foram detectadas nos levantamentos para calcular os indicadores de custo de vida apurados pelos principais institutos de pesquisas do país.

A mais recente mudança é o surgimento da multa de trânsito como um gasto importante no orçamento das famílias brasileiras, incluída na Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), da Fundação Getúlio Vargas (FGV). As multas aumentaram de peso na média de gastos apurada pela FGV, que calcula o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), um dos indexadores mais usados. É a primeira vez, desde 1947 – quando a FGV começou a medir a inflação – que esse item é incluído na pesquisa, atualizada a cada cinco anos pela instituição.

Pesquisas como a POF são usadas para detectar os produtos e serviços mais consumidos pelas famílias que respondem ao questionário. Os mais citados ganham um peso correspondente a sua importância no cálculo da inflação. Por isso, as frias estatísticas acabam por revelar a intimidade do país. As POFs são feitas periodicamente, mas o Plano Real e a abertura aos importados envelheceu mais rapidamente as pesquisas anteriores a 1994.

De acordo com o levantamento da FGV, a multa representa 0,25% da inflação mensal, um percentual que não é baixo, comparado a itens como o feijão preto, ao qual se atribui peso de 0,17%. Segundo os economistas da FGV, a mudança é resultado do aumento da fiscalização depois da entrada em vigor do novo Código Nacional de Trânsito. Outra novidade é a inclusão do automóvel zero quilômetro, com peso de 1,10% – reflexo da renovação da frota nacional estimulada pelos carros importados – entre os itens que mais pesam nos orçamentos familiares.


Produtos e serviços incluídos e excluídos nas pesquisas de custo de vida (Ibge/Iepe/FGV)

O que entra
Pão francês 100g
Produtos dietéticos
Alimentos congelados
Internet
Microcomputadores
Mensalidade de TV por assinatura
Multiprocessador de alimentos
Pager
Os aumentos de peso na composição dos índices: serviços essenciais (água, energia, telefone), aluguel e saúde

O que sai
Pão francês 500g
Máquina de escrever
Máquina de costura
Loteria esportiva
Peixe fresco
Tecido para confecção
Sacos de lixo
As reduções de peso na composição dos índices: alimentação, educação e vestuário


Ah, a imagem desse post até que tem a ver e é divertida: já que as pessoas passam a consumir mais, as vaquinhas, com medo de serem as escolhidas, fazem a sua própria contrapropaganda. Prá salvar a própria pele.

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Por que não?



Por que não fazer determinadas coisas? Sabe, o mundo é repleeeeeto de preconceito, justificativas para o “não”, motivos que fazem as pessoas desistirem. Por que isso? Porque têm falta de coragem, porque tem inveja. As pessoas. Porque acham que não é a hora. Porque têm preconceitos. Limitações. Cabeça pequena, que a gente chama ás vezes de “cabeção”. Depende como se fala, cabeça pequena é “cabeção”, ok? Por que? Porque é. Por que, MESMO?

Por que tem vezes que se escreve porque junto e ás vezes por que separado? Porque sim. Tem uma regra que lembro: Porque o porque junto é resposta e o por que separado é pergunta. Ainda tem alguns que colocam acento em um deles, não lembro mais qual deles.

Por que separado, é pergunta. Porque junto é resposta. Ah, tá. Me diz aí:

Por que você me lê? Por que você não me lê?

Por que você pratica esportes? Por que não pratica esportes?

Por que quer dançar a dança dos famosos? Ou por que não?

Viajar? Não? Sim? Para onde? Com quem? Por que?

Luz. Falta tanta luz porque...... sei lá, diga você.

Os pássaros cantam. Ou não. Por que, mesmo?

Os morangos são tão maravilhosos. São? Por que? Porque são azedinhos, suculentos, deliciosos. Tem que ter um porque?

Por que tem gente que diz “merchan”, ao invés de Merchandising? É um apelidinho carinhoso?

Por que tem gente chata? Por que você gosta ou não gosta de uma pessoa? Por que você acredita nisso ou naquilo?

Por que as crianças adoram dizer POR QUE? E por que a gente, quando fica mais grandinho, perde a mania do por que?

A vida é bela. Já dizia o filme. POR QUE? POR QUE É PARA VOCÊ? OU POR QUE NÃO É?

Olha o que eu acho: se a gente se perguntasse mais vezes POR QUE, com certeza, limitaria menos o cérebro e acreditaria menos nas VERDADES ABSOLUTAS. Aliás, verdades absolutas são meio chatas. Será? Por que?

Por que não se permitir pagar mico como uma criança? Porque pagar mico parece ser chato, mas não é. É bem divertido, quase um retorno a infância.

Pense mais. Pensar faz bem. Inclusive, prá pele. Por que, eu não sei. Dizem por ai.

Ah, e o seu é um POR QUE ou PORQUE?

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Orgasmo para a alma e marcas emocionais


É impressionante como é saboroso ler um texto inteligente, bem humorado, densamente bem escrito. Textos que são um orgasmo para a alma. E mais impressionante, é como palavras podem inspirar novas palavras, e serem completamente, novas ideias. Lindo, isso. Sabe, tenho vários amigos que escrevem muito bem. E hoje, vou indicar um deles, tá bem? Se quiser, conheça seu blog: http://herculanoneto.blogspot.com

Mas afinal, por que escrevemos? Poemas ou textos corridos?

Para ser mais gente, gente que faz... a diferença... gente que pensa... gente que vive... para respirar gente. Para fazer valer a pena... para estar próxima de pessoas que valem a pena.

E as marcas (como sempre tenho dito em aula, ou para amigos, ou no trabalho de marketing e relacionamento) estão e precisam estar cada vez mais relacionadas com a emoção, para diferenciarem-se entre si e permanecerem como memes na cabeça das pessoas. Pessoas consumidoras atuais ou não dessas marcas.

Veja o que Marc Gobé considera os 10 mandamentos para criar marcas emocionais (Autor, designer, futurista e cineasta, Marc Gobé é o presidente da Emotional Branding LLC. Seu bestseller Emotional Branding (lançado no Brasil como A emoção das marcas) foi traduzido para 17 línguas e deu início a um dos movimentos mais poderosos do marketing moderno em todo o mundo por trazer o foco para os consumidores como o poder máximo em estratégias de branding. Na obra, Gobé sustenta que o sentimento dos clientes pela marca é mais importante do que o conhecimento deles sobre a empresa):

1. De consumidores para pessoas – Clientes não podem ser tratados como alvos a serem atacados, é preciso construir relacionamentos com eles.

2. De produtos para experiências – Proporcionar experiências será vital, pois produtos atendem a necessidades e experiências satisfazem desejos.

3. De honestidade para confiança – Honestidade é obrigação. As marcas devem ir além, conquistando confiança, para gerar envolvimento e intimidade.

4. De qualidade para preferência – Para obter sucesso, não bastará ter qualidade reconhecida. Será preciso perseguir a preferência do público.

5. De notoriedade para aspirações – Ser conhecido não significa ser amado. Para ser desejada, a marca precisará refletir as aspirações dos seus clientes.

6. De identidade para personalidade – Para se diferenciar, além de uma identidade clara, as marcas devem ter uma proposta, caráter e carisma.

7. De funcionalidade para sentimento – Mais do que ser funcionais, os produtos devem proporcionar experiências sensoriais através do design.

8. De ubiquidade para presença emocional – Alta visibilidade não é mais suficiente. As marcas devem buscar contatos emocionais com as pessoas.

9. De comunicação para diálogo – Mais do que discursar através da comunicação tradicional, as marcas precisam entrar na vida de seus clientes.

10. De atendimento para relacionamento – Atender bem é só uma tarefa de venda. Estabelecer relacionamentos é reconhecer a importância do cliente.


Emocione e emocione-se. Orgasmos para a alma. Como a imagem desse post.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Quem apoiou o auto-aumento dos políticos e carnaval




 
Eita. É carnaval. ÓTTTTTTTTIMO FERIADÃO, this is very real. Mas ei, não podemos esquecer de toda maneira dos problemas da vida, né mesmo?

E nesse embalo, vou lembrar a todos de um episódio bem chatinho (que aconteceu a mais ou menos um ano atrás): o aumento, ou auto-aumento promovido pelos políticos a eles mesmos. Lembra disso? Veja:


Parlamentares gaúchos justificam posicionamento na votação que reajustou salários

Maioria dos representantes do Estado considera justo o aumento de 61,83%

Seguindo o retrato das votações na Câmara e no Senado, a maioria dos parlamentares federais gaúchos é favorável ao aumento de 61,83% nos próprios salários. Conforme levantamento feito por ZH, dos 31 deputados federais e três senadores, pelo menos 18 são favoráveis ao salário de R$ 26.723,13 – mesmo vencimento dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).


Já passou bastante tempo desse episódio, mas como eu tinha separado nas minhas pendências... vamos a essa triste lembrança?


Quem apoiou a votação do aumento para os parlamentares

Ao todo, 279 deputados federais apoiaram o requerimento de urgência para a votação do projeto de decreto legislativo que aumentou os vencimentos de deputados federais, senadores, presidente e vice-presidente da República e ministros de Estado para R$ 26,7 mil. Apenas 35 se posicionaram contra a urgência para votar o projeto, que elevou em 62% a remuneração dos parlamentares. Outros três se abstiveram de votar. O novo salário entra em vigor a partir de 1º de fevereiro de 2011.

A aprovação do regime de urgência abriu caminho para que o texto fosse aprovado a toque de caixa logo em seguida. Primeiro, pelos deputados e, depois, pelos senadores.

Nas duas Casas, a votação foi simbólica, ou seja, do tipo em que o congressista não declara seu voto. Na simbólica, quem preside a sessão anuncia: “Aqueles que aprovam, permaneçam como estão”. Para, em seguida, emendar: “Aprovado”. Por se tratar de decreto legislativo, o texto não será enviado à sanção presidencial, expediente que permite eventuais vetos. Veja como os deputados votaram o regime de urgência do aumento que os beneficiou, de acordo com as informações da própria Câmara, no Rio Grande do Sul:

Cláudio Diaz PSDB Sim
Darcísio Perondi PMDB Sim
Emilia Fernandes PT Abstenção
Fernando Marroni PT Sim
Germano Bonow DEM Sim
José Otávio Germano PP Sim
Luciana Genro PSOL Não
Luis Carlos Heinze PP Sim
Marco Maia PT Sim
Mendes Ribeiro Filho PMDB Sim
Osmar Terra PMDB Sim
Paulo Pimenta PT Não
Paulo Roberto Pereira PTB Sim
Pompeo de Mattos PDT Sim
Renato Molling PP Sim
Sérgio Moraes PTB Sim
Vieira da Cunha PDT Sim
Vilson Covatti PP Sim

Veja mais (se quiser detalhes de todos os estados, está nesse link, aqui inseri somente do meu Estado: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/quem-apoiou-a-votacao-do-aumento-para-os-parlamentares)

E as justificativas deles (em Zero Hora/ClicRBS/2010)

SENADORES

Pedro Simon (PMDB) — Mandato termina em 2014
"Votei a favor do reajuste porque quero que seja extinta a verba de representação. Entrei hoje (ontem) com projeto extinguindo a verba de representação."

Paulo Paim (PT) — Reeleito
"Como foi aprovado, sou contrário. Nem sabia da votação. Sempre fui favorável a um entendimento definitivo sobre o tema para a retirada dos penduricalhos."

Sérgio Zambiasi (PTB) — Não se candidatou
"Nem sabia que estava na pauta, não foi anunciado. Foi precipitado, votado às pressas, sem chance de discutir. Poderiam ter deixado para a próxima legislatura."

DEPUTADOS FEDERAIS

Afonso Hamm (PP) — Reeleito
"Não votei, mas sou favorável. Só lamento que não fizemos as outras votações necessárias. A mesma agilidade deveríamos ter para o reajuste dos policiais."

Beto Albuquerque (PSB) — Reeleito
"Não votei, mas me posicionaria contra se estivesse lá. Se tivesse só correção da inflação, seria justo. Um aumento neste tamanho não tem razoabilidade."

Claudio Diaz (PSDB) — Não se reelegeu
"Sou favorável. Entendo que o deputado que exerce o seu papel com o devido respeito e o devido rigor merece um salário equivalente ao maior existente no país."

Darcísio Perondi (PMDB) — Reeleito
"Votei a favor porque não sou hipócrita. Aqueles que votaram contra vão receber. Internamente, eu defendi 20% de aumento e perdi."

Eliseu Padilha (PMDB) — Não se reelegeu
"Teria votado a favor. Não acho que foi demais, nem de menos. O que eles fizeram? Equiparação com o Supremo. Então acho que está dentro do padrão."

Emilia Fernandes (PT) — Não se reelegeu
"Votei pela abstenção. Como não fui reeleita, acho que tem que decidir são os parlamentares que estão entrando, que têm uma consciência formada, se é importante."

Enio Bacci (PDT) — Reeleito
"Não votei, mas sou contrário. A questão de aumento salarial de parlamentar tem de ser precedida de uma ampla discussão com a sociedade."

Fernando Marroni (PT) — 1º suplente
"Votei a favor. Primeiro, tem uma regra constitucional da equiparação. Segundo, porque estava muito defasado o salário dos deputados e do Executivo também."

Germano Bonow (DEM) — Não se candidatou
"Sou favorável. Se há algum equívoco, não está aí. Estaria na verba de representação que poderia ser reduzida proporcionalmente ao que foi aumentado."

Henrique Fontana (PT) — Reeleito
"Não estava no plenário no momento da votação, mas sempre defendi o reajuste de acordo com a inflação. Isso resultaria num aumento perto de 25%."

Ibsen Pinheiro (PMDB) — Não se candidatou
"Não votei, mas sou favorável. Foi uma reposição de uma igualdade constitucional. Fico muito à vontade porque estou falando de algo que não me afeta pessoalmente."

José Otávio Germano (PP) — Reeleito
"A favor. Foi a única proposta submetida ao plenário para reajuste. Acho justo que todos os poderes ganhem a mesma coisa."

Luciana Genro (PSOL) — Não se reelegeu
"Sempre votei contra os reajustes de salário de parlamentares. Considero que os reajustes são desproporcionais aos concedidos ao salário mínimo."

Luis Carlos Heinze (PP) — Reeleito
"Para reduzir os juros, temos de cortar as despesas. Por isso, sou contra ao aumento de salários na proporção que foi dada."

Manuela D'Ávila (PC do B) — Reeleita
"Eu teria votado contra se estivesse aqui (estava em viagem à África). Temos pautas mais importantes para votar como o aumento do salário mínimo."

Marco Maia (PT) — Reeleito
"Com isso, resolvemos uma polêmica que há anos vem sendo discutida e debatida na Câmara que é a equiparação do salários dos poderes."

Maria do Rosário (PT) — Reeleita
"Não votei. Ainda que os valores sejam altos, há um aspecto positivo: não existe mais reajustes a partir de agora. Os deputados não reajustarão mais os seus próprios salários."

Mendes Ribeiro (PMDB) — Reeleito
"Votei favoravelmente à proposição que aumenta de legislatura para outra os salários dos parlamentares. De quatro em quatro anos, aumenta-se os salários dos parlamentares."

Nelson Proença (PPS) — Não se reelegeu
"Não votei. Os deputados, como juízes e ministros, têm de ganhar bem. Tem de acabar com a hipocrisia. Sou a favor que se ganhe bem e acabe com os penduricalhos."

Pepe Vargas (PT) — Reeleito
"Eu não votei, mas a minha posição era de que tinha de ter aumento pela inflação. A forma como foi aprovado ontem foi um equívoco."

Pompeo de Mattos (PDT) — Não se candidatou à Câmara
"Sou a favor. Acho que mais cedo ou mais tarde essa equalização tinha de acontecer. O aumento não precisaria ter sido tão alto para os casos de deputado e senador."

Ruy Pauletti (PSDB) — Não se reelegeu
"Não votei, mas, se estivesse presente, teria votado contra. Não é possível que o salário mínimo tenha um aumento de 5% enquanto parlamentares recebem um reajuste de 60%."

Renato Molling (PP) — Reeleito
"Nós deveríamos ter aumento, mas foi exagerado. Eu não estava no plenário na hora da votação, mas, se estivesse, entre votar e não votar, teria votado a favor."

Sérgio Moraes (PTB) — Reeleito
“Votei a favor porque é um salário justo. É uma demagogia barata: o sujeito que votou contra agora discursa, mas ele vai botar o dinheiro no bolso. Pergunta se ele vai devolver o salário.”

Vieira da Cunha (PDT) — Reeleito
"Votei a favor. O projeto nivelou a remuneração. Havia uma disparidade. Há muitos anos os parlamentares não recebiam reajuste."

Vilson Covatti (PP) — Reeleito
"Sou favorável. Alguém teria de assumir esse desgaste e foi neste momento. Tem de haver isonomia entre os poderes, senão o poder fica humilhado."

* Os deputados Osmar Terra (PMDB), Onyx Lorenzoni (DEM), Paulo Pimenta (PT), Paulo Roberto Pereira (PTB) e Luiz Carlos Busato (PTB) não foram localizados por Zero Hora.



Triste. Lamentável. NÃO ESQUEÇAM DISSO, MEUS LEITORES. Especialmente, na hora de votar.

Eles podem falar, mas você pode não ouvir. O pior é quando você fala, e eles não escutam. Mas daí, você pode revidar. Com o voto.

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Palavras de Paul


 

Isso é uma mensagem bacana ao mundo. Acompanhe a história. E aprecie as palavras de Paul.



Quando soube que tinha poucos meses de vida por causa de um câncer, o professor de gramática inglês Paul Flanagan só pensou em seus filhos, Thomas e Lucy. Em novembro de 2009, aos 45 anos, Paul morreu por causa do melanoma, deixando a mulher, Mandy, Thomas, então com 5 anos, e Lucy, de 1 ano e meio. Quase dois anos depois, ele continua presente com suas mensagens e fotos espalhadas por toda a casa. E, no mês passado, a família ganhou mais uma lembrança de Paul. Por acaso, Mandy encontrou um documento em seu antigo computador intitulado “Sobre encontrar a realização”. Essas são as palavras de Paul:

“Nessas últimas semanas, depois de saber de meu diagnóstico terminal, procurei encontrar em minha alma e em meu coração maneiras de estar em contato com vocês enquanto vocês crescem.

Estive pensando sobre o que realmente importa na vida, e os valores e as aspirações que fazem das pessoas felizes e bem-sucedidas. Na minha opinião, e vocês provavelmente têm suas próprias ideias agora, a fórmula é bem simples.

As três virtudes mais importantes são: lealdade, integridade e coragem moral. Se aspirarem a elas, seus amigos os respeitarão, seus empregadores o manterão no emprego, e seu pai será muito orgulhoso de vocês

Estou dando conselhos a vocês. Esses são os princípios sobre o quais tentei construir a minha vida e são exatamente os que eu encorajaria vocês a abraçar, se eu pudesse.

Amo muito vocês. Não se esqueçam disso.

Seja cortês, pontual, sempre diga “por favor” e “obrigado”, e tenha certeza de usar o garfo e a faca de maneira correta. Os outros decidem como tratá-los de acordo com as suas maneiras.

Seja generoso, atencioso e tenha compaixão quando os outros enfrentarem dificuldades, mesmo que você tenha seus próprios problemas. Os outros vão admirar sua abnegação e vão ajudá-lo.

Mostre coragem moral. Faça o que é certo, mesmo que isso o torne impopular. Sempre achei importante ser capaz de me olhar no espelho toda manhã, ao fazer a barba, e não sentir nenhuma culpa ou remorso. Parto deste mundo com a consciência limpa.

Mostre humildade. Tenha a sua opinião, mas pare para refletir no que o outro lado está dizendo, e volte atrás quando souber estar errado. Nunca se preocupe em perder a personalidade. Isso só acontece quando se é cabeça-dura.

Aprenda com seus erros. Você vai cometer muitos, então os use como uma ferramenta de aprendizado. Se você continuar cometendo o mesmo erro ou se meter em problema, está fazendo algo errado.

Evite rebaixar alguém para outra pessoa; isso só vai fazer você ser visto como mau. Se você tiver um problema com alguém, diga a ela pessoalmente. Suspenda fogo! Se alguém importuná-lo, não reaja imediatamente. Uma vez que você disse alguma coisa, não pode mais retirá-la, e a maioria das pessoas merece uma segunda chance.

Divirta-se. Se isso envolve assumir riscos, assuma-os. Se for pego, coloque suas mãos para cima.

Doe para a caridade e ajude os menos afortunados que você: é fácil e muito recompensador.

Sempre olhe para o lado bom! O copo está meio cheio, nunca meio vazio. Toda adversidade tem um lado bom, se você procurar.

Faça seu instinto pensar sempre em dizer ‘sim’. Procure razões para fazer algo, não as razões para dizer ‘não’. Seus amigos vão gostar de você por isso.

Seja gentil: você conseguirá mais do que você quer se der ao outro o que ele deseja. Comprometer-se pode ser bom.

Sempre aceite convites para festas. Você pode não querer ir, mas eles querem que você vá. Mostre a eles cortesia e respeito.

Nunca abandone um amigo. Eu enterraria cadáveres por meus amigos, se eles me pedissem… por isso eu os escolhi tão cuidadosamente.

Sempre dê gorjeta por um bom serviço. Isso mostra respeito. Mas nunca recompense um mau serviço. Um serviço ruim é um insulto.

Sempre trate aqueles que conhecer como seu igual, estejam eles acima ou abaixo de seu estágio na vida. Para aqueles acima de você, mostre deferência, mas não seja um puxa-saco.

Sempre respeite a idade, porque idade é igual a sabedoria.

Esteja preparado para colocar os interesses de seu irmão à frente dos seus.

Orgulhe-se de quem você é e de onde você veio, mas abra a sua mente para outras culturas e línguas. Quando começar a viajar (como espero que faça), você aprenderá que seu lugar no mundo é, ao mesmo tempo, vital e insignificante. Não cresça mais que os seus calções.

Seja ambicioso, mas não apenas ambicioso. Prepare-se para amparar suas ambições em treinamento e trabalho duro.

Viva o dia ao máximo: faça algo que o faça sorrir ou gargalhar, e evite a procrastinação.

Dê o seu melhor na escola. Alguns professores se esquecem de que os alunos precisam de incentivos. Então, se o seu professor não o incentivar, incentive a si mesmo.

Sempre compre aquilo que você pode pagar. Nunca poupe em hotéis, roupas, sapatos, maquiagem ou jóias. Mas sempre procurem um bom negócio. Você recebe por aquilo que paga.

Nunca desista! Meus dois pequenos soldados não têm pai, mas não corajosos, têm um coração grande, estão em forma e são fortes. Vocês também são amados por uma família e amigos generosos. Vocês fazem o seu próprio destino, meus filhos, então lutem por ele.

Nunca sinta pena de si mesmo, ou pelo menos não sinta por muito tempo. Chorar não melhora as coisas.

Cuide de seu corpo que ele vai cuidar de você.

Aprenda um idioma, ou pelo menos tente. Nunca comece uma conversa com um estrangeiro sem primeiro cumprimentá-la em sua língua materna; mas pergunte se ela fala inglês!

E, por fim, tenha carinho por sua mãe, e cuide muito bem dela.

Amo vocês com todo meu coração,

Papai.”



Tem palavras que nos deixam sem palavras.

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Gente instantânea: de Teló a Luiza



Alguns gostam, outros não. Alguns criticam, outros não. Tem todo o tipo de gente no mundo, que acredita em todo tipo de gente. De coisa. Situação.

Gente instantânea. Sucesso efêmero. Tempos de BB. Ou BBB. Tempos de gente a jato, que a gente conhece por acaso. Ou não.

A fama efêmera provoca a muitos... tenta a tantos. Ajuda a alguns. Contribui com uma mensagem ao mundo. Ou não.

Um caso triste de “sucesso”: A MORTE DA JUIZA

Patricia Acioli, juíza linha-dura com grupos de extermínio de São Gonçalo, é morta na porta de casa http://extra.globo.com/casos-de-policia/patricia-acioli-juiza-linha-dura-com-grupos-de-exterminio-de-sao-goncalo-morta-na-porta-de-casa-2438304.html

Veja o que escreveu um promotor (Alexandre Cruz), na internet:

O episódio da morte da juíza Patrícia Acioli, ocorrido na última semana na cidade de Niterói, estado do Rio de Janeiro, expõe uma triste realidade: no país da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, o crime organizado alcançou níveis alarmantes, parecendo não haver mais limites para sua ousadia. Se é certo que a acentuada desigualdade social atua como fator criminógeno, não parece ser menos certo que a impunidade tem papel decisivo na escalada da criminalidade. E a questão tem aspectos de difícil contorno http://www.atribunanet.com/noticia/a-morte-da-juiza-o-crime-organizado-e-as-algemas-estatais-68386

Um caso emocionante: ALICE PYNE E O CÂNCER

Ao postar uma lista de desejos para cumprir antes de morrer, uma adolescente britânica de 15 anos com câncer terminal teve mais de 230 mil visitas em seu blog - e muitas promessas de ajudá-la a cumprir sua meta.

"Eu sei que o câncer está me vencendo e não parece que eu vou vencer esta. É uma pena, porque há tanta coisa que eu ainda queria fazer", escreveu Alice Pyne.

Veja a lista dela:

Nadar com tubarões
Fazer todos assinarem lista de doadores de medula óssea
Viajar ao Quênia (não posso viajar para lá agora, mas gostaria)
Inscrever a cachorra Mabel em um concurso
Fazer uma sessão de fotos com 4 amigas
Ter uma sessão privada de cinema com as melhores amigas
Desenhar uma caneca para vender para caridade
Viajar em um trailer
Passar uma noite em um trailer
Ter um iPad roxo
Ser uma treinadora de golfinhos (também não posso mais fazer esta)
Encontrar a banda Take That
Ir ao Cadbury World (parque temático da fábrica) e comer um monte de chocolate
Tirar uma boa foto com a Mabel
Ficar em um quarto de chocolate no (parque de diversões) Alton Towers
Fazer meu cabelo, se alguém puder fazer algo com ele
Fazer uma massagem nas costas
Ver baleias

Veja o site/blog original: http://alicepyne.blogspot.com/

Uma reviravolta na vida: O MENDIGO QUE VIROU LOCUTOR DE RÁDIO

Um mendigo, morador de uma rua da cidade de Columbus, estado de Ohio, nos EUA, ficou famoso depois que um vídeo em que ele falava com uma bela voz de locutor, foi publicado no Youtube.

Ted Williams ficou famoso em 24 horas e seu vídeo teve 10 milhões de visualizações, após o jornalista e cinegrafista amador Doral Chenoweth fazer a filmagem do homem que segurava uma placa com o escrito: "Tenho o dom divino da voz, sou um ex-locutor de rádio que caiu em desgraça". Williams começou a carreira de locutor aos 14 anos, teve algum sucesso, mas depois destruiu sua vida por causa das drogas, passando 10 anos vivendo nas ruas.


Um caso de sucesso a jato: LUIZA. DO CANADÁ PARA O BRASIL. OU VICE-VERSA.

Tudo começou com um anúncio sobre o lançamento de um prédio residencial veiculado na Paraíba.

Na propaganda, Geraldo Rabello, pai de Luiza, fala sobre o empreendimento e cita que convidou toda a família para falar da novidade, menos Luíza, de 17 anos, que estaria no Canadá, fazendo intercâmbio. Bastou uma frase para que um novo meme fosse gerado.


Depois desse comercial, Luiza voltou do Canadá e passou a fazer sucesso. Até quando, será? Veja um pouco mais aqui: http://www.youtube.com/watch?v=9gr0IST88GI&feature=related

E as criticas: http://www.youtube.com/watch?v=j_CUqLslASQ&feature=fvwrel

Olha, tem os dois lados. Diversão, celebridade instantânea, ok. Mas na real, o Nascimento pode ter razão: nós já fomos mais inteligentes. Ou será que fomos, Nascimento? Ás vezes, tenho minhas dúvidas. Veja aqui: http://www.youtube.com/watch?v=j_CUqLslASQ&feature=fvwrel

Bem, a favor ou contra, goste ou não goste, o fato é que não existe mais volta: estamos na época das pessoas instantâneas. Gente instantânea.

Ah, eu quase ia esquecendo:

“Nossa, nossa, assim você me mata. Ai se eu te pego, ai se eu te pego!”

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Aromas de mim




Já falei outras vezes que a casa da gente tem que ter a nossa personalidade. Sim, sempre. Personalidade é tudo de bom, é deixar a nossa essência estampada de forma visível, visceral, mas sem estar intoxicados pelo eu. A expressão “intoxicados pelo eu”, já foi usada pela Marta Medeiros, nossa querida escritora.


Em uma era altamente egocêntrica, é importante separar personalidade visível de egoísmo exacerbado.


Sim, eu posso deixar a minha essência em tudo por onde passar. Isso é demonstração de personalidade, de firmeza e foco do que realmente somos. Mas não pode ser confundido com “eu posso tudo”, “eu me amo demais” ou “pára o mundo que eu tô descendo”. A gente não pode, a todo tempo o tempo todo, ficar viciado demais na gente mesmo, de forma totalmente egocêntrica.


Ser egocêntrico é considerar que somos o centro do universo. E ora bolas, afinal de contas, não somos.


Goste-se muito, mas não goste somente de você mesmo, o tempo todo. Divida-se e doe-se.


E se você conseguir ser menos egoísta, exale em sua casa um cheirinho gostoso em cada cômodo. Não somente prá você se sentir bem, mas para todos que convivem com você, também imaginarem-se no paraíso. Ah, e veja mais o que encontrei sobre aromaterapia na internet:


Um aroma para cada cômodo

Segundo a aromaterapeuta Mayra Castro, óleos essenciais puros ou resinas e ervas puras queimadas em forma de incenso trazem os benefícios que os princípios ativos desses aromas contêm. Como costumam ser mais caros, os aromas sintéticos saem na frente no mercado. Eles podem não trazer os princípios ativos dos naturais, mas proporcionam o mesmo prazer olfativo. “São perfumes que podem despertar sensações e lembranças através de gatilhos olfativos interpretados pelo sistema límbico em nosso cérebro”, explica. Na hora de escolher entre tantos aromas, Mayra indica quais perfumes combinam com cada ambiente da casa: da sala de estar ao quarto do casal. Confira:

Sala íntima: óleos essenciais de lavanda, capim-limão, bergamota, petitgrain de laranja ou manjerona.

Sala de estar: óleos essenciais de laranja, mandarina, cravo-da-índia, pimenta-rosa, pimenta-negra, gengibre, canela-da-China, manjericão ou noz-moscada.

Sala para estudos ou leitura: óleos essenciais alecrim-do-campo quimiotipo canforado, limão ou tomilho.

Quarto do casal: para dormir use óleos essenciais de lavanda, bergamota, laranja, capim-limão, camomila-romana ou pau-rosa.

Para uma noite de amor: óleos essenciais de ylang ylang, patchuli, jasmim, rosa, gerânio, tribulus, cedros, néroli, sândalo, lírio, íris, frangipani ou palmarosa.

Para aliviar a congestão nasal: óleos essenciais de hortelã-do-campo, eucalipto glóbulus, eucalipto radiata, abeto siberiano, espruce canadense ou cipreste.

Quarto de criança: óleos essenciais de lavanda, camomila-romana ou laranja-pêra.

Cozinha: para estimular o apetite use óleos essenciais de manjericão, orégano, tomilho, sálvia, cravo-da-índia, canela, pimenta-rosa, pimenta-negra, cominho, turmérico, erva-doce, anis-estrelado ou noz-moscada.

Banheiro: para ficar com cheiro de limpeza use óleos essenciais de alecrim-do-campo, hortelã-verde, eucalipto citriodora, citronela, pinheiro silvestre, cipreste, tea tree ou limão.

Para disfarçar o cheiro de limpeza: óleos essenciais de laranja ou cravo-da-índia

Escritórios e ambientes de trabalho: para estimular use óleos essenciais de limão, cipreste, abeto, hortelã-pimenta, eucalipto radiata ou gerânio.

Para aliviar o estresse: óleos essenciais de capim-limão, bergamota, laranja, mandrina, tangerina, erva-doce, funcho, alcarávia, anis-estrelado, lavanda ou pau-rosa.

Receita caseira de como perfumar a casa sem usar velas aromáticas

Passo 1: Numa panela pequena, leve um pouco de água para ferver em fogo brando.

Passo 2: Adicione à água pedaços de canela em pau (ou pitadas de canela em pó). Se gostar, adicione também cravos-da-índia e cascas de limão, laranja ou maçã.

Passo 3: Deixe ferver pelo tempo que desejar, tendo o cuidado de completar a água da panela.



Ah, se eu pudesse, deixava minha essência aromática aqui prá vocês. Garanto que lembraria morangos... misturada com uma pitada de violeta.

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email