O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Religião não significa fé. E vice-versa



Cada vez mais, tenho mais medo do enorme número de religiões por aí. Surreal.

Os maiores líderes espirituais não defenderam religiões, defenderam seres humanos.
Conheço pessoas que consideram-se superiores por frequentar uma igreja, mas que são desleais, egoístas e egocêntricas.
Disseminam revolta, raiva e preconceito.
Pessoas assim, não deveriam representar ninguém.
Antes de aceitar o convite de alguém para entrar em uma igreja, avalie seu comportamento.
Pense antes de qualquer coisa. Fortaleça-se a si mesmo, pratique o relaxamento e saiba interpretar as verdades que estão em nossa sociedade e na natureza.
Seja ético. Seja uma pessoa bacana com as pessoas, animais, tudo e todos. Abra a mente e respeite aqueles que são diferentes de você.

Essa é a regra para ser um ser ALOHA NAMASTÊ. Mais importante que ser um "da fé". Ou seja lá como a sua igreja o nomeia.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Síndrome do Parque de Diversões




Dizer sempre sim as crianças? Cuidado com a SÍNDROME DO PARQUE DE DIVERSÕES... ou o próximo brinquedo. Não pode-se ter tudo sempre. E um novo brinquedo. E uma nova vitória. E sempre sim. Nunca não. Se você presentear seu filho toda vez que vai ao supermercado, por exemplo, ele crescerá com a sensação que pode ter tudo que quer na vida. E não se pode ter tudo que se quer na vida. Ou sim?

E como superar a frustração que um NÃO pode gerar? Se já é difícil para adultos... imagina para crianças!

Assisti uma entrevista no É DE CASA, com o Fly (coreógrafo da Globo... ah, tá... não diga que ele não é Psicólogo, porque o que ele disse, tem muita lógica) e ele falou sobre a técnica INFALÍVEL de negociação inclusive com crianças (filhos, sobrinhos, netos):

A TÉCNICA DO OLHO NO OLHO. Explique para as crianças. Abaixe-se para explicar, na altura delas. Isso gera empatia.

E elas vão compreender. Elas vão se solidarizar com sua solicitação.

Talvez pais e mães, e especialmente avós e avôs, precisam aprender com tios e tias a dizer NÃO. Ou talvez, não.

E ei, essa tirinha aí embaixo é injusta, é não?


Pare de querer o A MAIS, aquilo que não está vivendo agora. Quando fazemos isso, além de gerar expectativas e ansiedade, não vivemos o momento.

Menos selfie da vida e mais vida de agora.

Quando eu morrer




A morte nos aproxima da vida. Nos faz enxergar o quanto somos...

... únicos.
... efêmeros.
... especiais.


Qualquer um de nós, de alguma forma, interfere. 

E pode mudar caminhos.

E na verdade...
... temos pouco tempo. E o nosso próprio tempo.


Um dia, Richard, o Gere, foi assim.

Não se vanglorie demais da beleza juvenil. Porque um dia, ela passa. Ser belo quando se é jovem, é inevitável. Mas depois de alguns anos... a beleza muda. É outra. Ou não. Depende do que você construiu dentro de você. Agora, Richard, o Gere, está assim:
Ou seja, todos que viverem, envelhecerão. Mas por que escrevi sobre isso? Acho que quando aproxima-se nosso aniver... ficamos nostálgicos. Talvez seja isso. Também quando nos deixam amigos, próximos ou desconhecidos. Isso nos depara com a mortalidade, a nossa própria mortalidade.

Por isso, talvez, tenhamos essa singela idolatria por heróis, personagens fictícios e seres de lendas e estórias surreais.

Vampiros? Vivem para sempre. E sempre são bonitos, jovens, bem sucedidos e ricos (mesmo sem trabalhar).


E aproveitando o aníver, que tal lembrar do SCORPIO? Por que essa fama de MAU? Não é!

sábado, 24 de outubro de 2015

Megalomaníacos do Tudo Sempre Agora Já




Mundo sem tempo de ter paciência e a relevância. É estranha. A vida é. Paciência: não. Fidelidade: pouca.

Então. Pois é. Já vivemos em um tempo em que marcas eram importantes. Amizades. Opiniões. Tudo tinha relevância. Mas e agora? NÃO HÁ TEMPO. Sem tempo.

Separei 2 textos/artigos que têm a ver com o que escrevo nessa postagem:

(by David Coimbra)

Concordo com o David Coimbra: "Li que a capacidade de concentração dos jovens humanos de hoje é menor do que a de um peixe de aquário."


E você: pode parar de reclamar e ler até o final?


(mas eu continuo concordando com o David. O Coimbra. Apenas acho que não vale somente para os jovens. TÁ GERAL.)

(by Rodrigo Adams)

Excelente texto do Rodrigo Adams! Uma das coisas que sempre me deixaram triste, são pessoas que não leem textos até o final. E como disse o Rodrigo, julgam somente pela manchete.


Hello, pessoas, liguem-se: NÃO PREGUIÇA DE LER.

Brasilis e PPP: País da Piada Pronta




Inspirei-me no texto do David Coimbra para escrever esse. Porque política, é coisa muito séria. Mas ás vezes, só rindo. Não sorrindo, é SÓ RINDO, mesmo.


Pois então. Qualquer semelhança com a realidade, é mera coincidência! Existem muitos Neros por aí... incendiando governos, sejam cidades, Estados ou países.


Incendiando vidas.


Destaco um trecho do texto de David Coimbra:


"O povo está pouco se importando para governos austeros, para responsabilidade fiscal ou para quem administra pensando no futuro."





Estamos falando de avaliar a competência de um político. Não a sua simpatia eleitoreira. Ou seu carisma, como alguns gostam de citar.



E não pensa que isso vale SOMENTE para políticos que já estão no poder.


Conheço (e tenho certeza que você também) candidatos a cargos públicos seja para vereador, prefeito, deputado federal ou estadual que não têm a menor capacidade de governar coisa alguma, porque não têm conhecimento político consistente. O que querem, é melhorar suas próprias vidas e de seus próximos. E não dá para ser próximo de todos.


Por isso... pensa. Cuidado com suas escolhas. Elas definirão o seu, o meu, o nosso futuro. O futuro desse país. Pensa. Leia. Acompanhe.

E a questão é: acho que chega de pão e circo somente. Pode-se perceber que isso não leva ao sucesso de uma administração pública a longo prazo. Não no passado e tampouco no presente. Tenho medo de políticos carismáticos, somente. Ou qualquer líder assim. Em geral, são megalomaníacos.


Vergonha, deslealdade e desrespeito. E retomando a série de PPP: País da Piada Pronta. Brasilis.

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

No Hate. No War. E a WWW



Sim. Algumas empresas, algumas pessoas, vivem da guerra.
Para qualquer outra pessoa ou empresa que não viva dela, não se entende como possa defender qualquer situação...
... que a estimule. NO HATE. NO WAR.

E SIM. Uma escola deixou de contratar mais seguranças e contratou mais profes de artes. 

Mais professores de artes: ideia sensacional, simples e lógica.

O ser humano, independente de classe social, é construído pela arte. Arte e cultura andam juntas.

Estimule isso nas pessoas, que estimulará cidadãos.

E se ainda associar ao esporte, uma boa sociedade surgirá. BACANA!





Concordo! Todo mundo tem um (no mínimo) amigo louco de raiva nas redes sociais (e sim, espera-se que seja somente aqui, mas sinceramente, duvido)!

Tem aqueles que odeiam os políticos como se corrupção fosse algo realizado somente por eles. Odeiam a Globo, a mídia em geral. Odeiam quem não curte sua religião, odeiam o síndico, uma marca qualquer. Querem a volta dos militares e a ditadura, dizem que "bandido bom é bandido morto", nossa... ODEIAM. Simplesmente odeiam.

Na boa, aviso sempre: se postar algo com "ódio" no meu perfil/página, eu deleto, tá? E não adianta me odiar. Vou continuar deletando.

A gente não precisa exalar raiva, especialmente no que escreve, para expressar sua opinião, gente boa e do bem! Mas se você precisar muito, mas muito mesmo (expressar sua raiva), faça isso no seu perfil/página. Embora que fazendo isso, você talvez não forme uma imagem muito positiva.

Quem sabe, vai fazer boxe, praticar um esporte... sexo, que tal?

Só tem uma coisa que discordo do Piangers: nem aqui e nem lá. Acho que nem nas redes sociais e nem no mundo "real".

A geração NEMNEN poderia ser isso: NEM ÓDIO EM LUGAR NENHUM. 


E agora, outra questão: desligue UM POUCO as notificações. 

Os BIP BIPS. Gente com menos de 20, acredite: você não é um smartphone. Gente com mais de 20, acredite: você não é um note, net, smart, seja lá o que for. Ou seríamos novas versões de HUMANOS ROBÔS? Acho que não. Seja mais SMART e menos PHONE.

Beep Beep, só o do Papaléguas.

Jovens, cabeções e ferramentas de comunicação




Embora já não seja mais uma adolescente, nem tampouco jovem de idade, nunca entendi a postura das pessoas "mais velhas".

Elas acham que mais velhos têm mais juízo e inteligência que as novas gerações. Bulshit. Bobagem.

"Foi ótimo me despir da vaidade", disse a moça-atriz no link http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=6&cid=245584. Isso é uma demonstração que jovens têm cérebro, e dos bons!

Ok, tem gente jovem sem cabeça, mas também tem gente não tão jovem, que não é "cabeção“, é "cabeçudo". Então não fique por aí dizendo que jovem não tem conteúdo. Está aí um belo exemplo de "cabeçona".

E PORFA: não venha intelectualizar dizendo que TV não tem nada de bom. Qualquer veículo tem muita coisa boa ou ruim. Quem tem o controle remoto, é você. DECIDA o que é bom. AVALIE. Não generalize demais.

Não é o canal, a ferramenta, a carcaça ou a imagem que decidem tudo. Idade, sexo ou cor. Cabeção. Não cabeçudo.

Mas sempre com, no mínimo, razoável humildade. Afinal, você não é o Tio ou a Tia Google. É?

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Convergente e edição do DNA




Qual a tatuagem de sua alma?

Embora não se compare a escrita de Verônica Roth com J R Ward, por exemplo, ou com os livros da série "Jogos Vorazes" ou outros grandes autores do gênero, a verdade é que a estória é interessante.


E houve evolução na escrita do primeiro ao terceiro livro.


Ainda, não se pode deixar de mencionar o tema, em uma época em que está falando-se em edição de DNA.


Por isso, vale a pena. Bem interessante.


A questão é: determinar o DNA é ficção científica ou nem tanto?


Deixo essa análise aos amigos cientistas, que entendem sobre o assunto mais que nós, meros reflexos de nossos DNA´s. Defeituosos, será? Ou não seremos apenas reflexos, E SIM, determinados por "ELES".


"Existem tantas maneiras de ser corajoso neste mundo. Às vezes, coragem significa abrir mão da sua vida por algo maior do que você ou por outra pessoa. Às vezes, significa abrir mão de tudo o que você conhece, ou de todos os que você jamais amou, por algo maior." 


Mas ás vezes, não. Ás vezes, significa apenas encarar a sua dor e o trabalho árduo do dia a dia e caminhar devagar em direção a uma vida melhor.”

(convergente, ROTH, 2014, p.502)


O abnegado, que é altruísta, pode ser sufocante.
O franco, que é honesto, pode ser insensível.
O amigo, que é pacífico, pode ser passivo.
O erudito, que é inteligente, pode ser vaidoso.
O audaz, que é corajoso, pode ser cruel.

Conforme o livro, toda virtude pode vir acompanhada do "lado negro da força".


?

More Women no Poder



More Women no poder. Sem querer entrar na discussão, mas é fato...
... somos em menor número no poder, e quando estamos com o poder, sempre pode rolar uma piadinha ou comentário a respeito de nossa beleza ou da ausência dela.
Hello. Já passou da hora de chegarmos ao poder por qualquer atributo que não a competência efetiva.
Não chegue ao poder por:
  1. Beleza (ou falta dela), por aparência
  2. Por chantagem ou segredos compartilhados
  3. Por benefícios oferecidos a quem já está lá (favores estranhos ou corrupção)
  4. Parentesco (tudo bem se você for muito bom, mas não só porque é parente)
  5. Outras coisas chatas, estranhas ou sem caráter
Simplesmente chegue ao poder porque você, efetivamente, está entre os melhores naquilo que faz.

Os que erram e a INjustiça



Afinal de contas, quem é o culpado pelo erro?

Esse conceito tem a ver com quem erra e quem sofre com o erro. Vivemos em constante dilema: será que somos os culpados?
É o que acontece também, com a pessoa que sofre o assalto, o estupro.
Com certeza, sempre existirá alguém (ignorante, diga-se de passagem) que dirá:
"É, mas você estava provocando... não deveria ter passado por lá, vestido tal roupa..."
O erro é culpa de quem o comete. Nunca de quem o fez. Lembre disso.


E esse, é um erro?
Ich... vai ter gente que vai ter dificuldade de dirigir novamente.
Nunca esquecerei (o que rendeu boas risadas em sala de aula), quando em um dia qualquer, em uma determinada turma, perguntei:
"People, quantos na sala fumam?" Logo... duas pessoas levantaram a mão.
Perguntei de novo:  "Sério, só duas pessoas de 50? Puxa, o número é relativamente bom, baixo."
Então... um aluno, daqueles que a gente não esquece nunca mais, disse:
"Dóris, Profe... é que você não perguntou o que se fuma... que tipo de cigarro..."
A sala foi uma risada só. E é claro, eu não precisei fazer nenhuma outra enquete depois DESSA RESPOSTA.
EITA. Só rindo mesmo.

EITA 2, que justiça. INjustiça. Triste vida real. Que não é ficção.

E os erros do mundo não param. Você acredita...

... que tem quadrilhas de ladrões roubando as casas...


... dos desabrigados das enchentes?
Pois é incrível onde a maldade e o oportunismo humanos podem chegar.
Me lembra o Zeca Urubu, inimigo oportunista do Pica Pau.
Absurdamente surreal e desprezível. Triste e lastimável.

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email