O que você encontra aqui?

Coisas do mundo e conceitos da autora, que tem uma visão contemporânea do comportamento humano.

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Expectativas das ondas da vida





Já postei essa onda antes, mas ela representa meu momento.

Ei-la de novo. Que venha uma grande onda. E que seja uma onda boa... do mar...

E que venha... e quem sabe... traga significado. Quem sabe até, volte aquela onda que nunca deveria ter ido... mas foi-se. Sem avisar. Chegou chegando... saiu saindo. E de onda em onda... onde estará?

Onda em segredo. Onda em placebo. Onda de mancebo. Onda que recebo.

Ondas são ondas, mas ondear, é perder-se... limitar-se... ondas são eternas. Ondas voltam. E ficam para ficar. Ondeando... saboreando...

Ondas são perfeitas formações de um mar feito para amar.



Muito superficial e vazio, dizer que com o passar dos anos, nos acostumamos com as decepções.

NUNCA NOS ACOSTUMAMOS. Aprendemos a lidar.

Por isso, saiba: não decepcione as pessoas. SOMOS SIM, responsáveis pelo sofrimento alheio.

E vamos parar com essa falácia de que não devemos criar expectativas.

Quem tem sangue nas veias, sempre cria expectativa. Porque sempre alguém gera expectativa.

Então... seja mais responsável por aquilo que você planta pelo mundo. E pá e pum.

Sobre decepções: 
O problema não é perdoar, é confiar de novo.

Bairrismo é limitante




Tem gente que leva isso muito a sério: ser humano.


Entendeu?

Eu curto os EUA. Sempre curti. Mas o que não curto, e tampouco nunca curti...
... seja do povo americano como de QUALQUER outro povo...
... sempre será a arrogância de julgar-se o melhor por ser desse ou daquele lugar.
Bairrismo sempre limita pessoas. E condiciona seu sucesso ao fatalismo de sua origem.

Veja essa cena do primeiro episódio da série The Newsroom da HBO, que ilustra o que não se deve fazer para não ser bairrista, entre outras muitas coisas (como separar um Estado do Brasil, por exemplo):


terça-feira, 30 de agosto de 2016

A política dos amigos



Eu não quero competir com você. Desejo seu sucesso. E desejo que você faça.

Tradução livre. Livres somos para gerar o bem.

O mesmo vale para a política. E estamos observando tantas bobagens por aí! Gente brigando à toa! Por bobagem... E enquanto isso:



Amigos queridos...
... estamos vivendo uma época de embates de opiniões. Gerados pela política, economia, comportamento social. Mas que não nos percamos de nós mesmos! Vamos manter as relações, combinado?

E quem me conhece, sabe que não sou de esquerda ou direita. Uma centrista? Uma liberal? Não sei. E na real, não me preocupo muito com o título daquilo que acredito. O que quero, é um país melhor. E a questão é: existirá tempo ainda de ver, em minha existência terrena, um país melhor?


ESPERO QUE SIM. ESPERO. E de uma forma ou outra, depende de cada um de nós. Que possamos sentar, discutir, ouvir e buscar soluções. Juntos.

Veja uma imagem sobre esquerda, direita e o centro:


E lembre: você não pode ficar sem opinião para sempre:


E você não pode ter ESSA opinião para sempre:


E nessa época... talvez do que precisamos, seja isso:

Morre lentamente



Viajar para lugares bem diferentes de sua cultura original = abre a mente. Amplia horizontes.

Ler livros = os mais diversos possíveis. E técnicos, por favorzinho.

E música = da alma. No mínimo uma erudita, vez por outra. E se dos gêneros que são da cultura pop... não somente, please.

Rir de si mesmo = aceitar seus erros, mas crescer com eles. PERMITIR-SE errar para aprender.

Acima se tudo, para não morrer lentamente... viver intensamente. Não viver pela metade.

Vivemos em uma época estranha, vazia e fútil. 
É importante pensar e fazer as coisas em equipe:



Isso me lembra muito o Free Hugs. Parabéns ao CVV = Centro de Valorização à Vida. Sensacionais: http://cvv141.blogspot.com.br/2016/08/urban-confessional-um-movimento-para.html?m=1

Ele me deixou ir



Sem palavras. Sim. Me deixaram ir.

Eu me emocionei ao ler o texto abaixo. Tanto, que vou transcrevê-lo na integra. Pois parece que foi escrito, para mim. Eu. Dóris. Ele não tem exatamente tudo igual ao que acontece (U???)... mas muito, muito mesmo, tem.

“Ela não é dessas que tu encontras em qualquer esquina. Ela é diferente das demais. E eu não estou a falar do corte de cabelo, das roupas que ela usa ou da makeup. Ela é única. Ela conheceu-te como ninguém e, ainda assim, aceitou-te exatamente do jeito que tu és. Ela aprendeu a lidar com os teus defeitos, ajudou a resolver alguns dos teus problemas e ainda conquistou todos os teus sorrisos. Ela foi o teu maior presente e chegou quando tu menos esperavas, sem nenhuma data comemorativa ou aviso prévio. O embrulho parecia simetricamente perfeito, mal sabias tu que o conteúdo era ainda melhor do que a embalagem. Se tu a julgaste pela capa, certamente ficaste interessado. Mas ao conhecê-la, tu desejaste que a história de vocês nunca tivesse um ponto final na última folha. A cada dia, tu encontravas nela uma razão para compartilhar todos os objetivos. Talvez fosse o jeito que ela te olhava, ou o beijo que tu tanto gostavas. Ou, quem sabe, pelo motivo mais óbvio. Ela foi o grande amor da tua vida e tu só percebeste agora. Repara em tudo o que vocês viveram juntos. Tu eras feliz e não sabias, ou tinhas consciência, mas recusavas-te a admitir. Era simples, tu só precisavas tê-la acompanhado e não a deixado tantas vezes sozinha. Ela sempre se importou contigo. Cuidava de ti quando não estavas bem, procurava agradar-te nos pequenos detalhes, preocupava-se com o teu bem-estar a todo o minuto. Ela não era daquelas que apenas olham para o próprio umbigo. Ela tirava de si para te dar, ela tinha um coração singular. Não media esforços, não tinha horários ou limitações. Ela fazia acontecer e, antes mesmo de tu pedires, já estava pronto. Ela era aquele sonho relaxante, depois de um dia cansativo. Ela era a tua paz. Tu nunca foste do tipo que ela idealizava. Tu acabavas sempre por trocar os pés pelas mãos. Ela não, ela era cautelosa. Analisava toda a situação e nunca faltavam argumentos. Tu ficavas à beira de um ataque de nervos quando brigavam, mas no fundo, eu sei que tu achavas a coisa mais linda do mundo quando ela fazia aquela cara de irritada. Quando ela acelerava na fala e atropelava as palavras. Ela é aquela que tu procuraste em tantas mulheres erradas, até que, por fim, encontraste a certa. Tu sabes que erraste e, se a conheces bem, ela não voltará atrás na decisão. Tu perdeste-a. Depois de tantas oportunidades, compreensões e novas chances, tu esgotaste-a. Ela se foi, e não vai sofrer com essa situação. Ela é madura o suficiente para reerguer-se dessa desilusão. Ela é segura, forte. No escuro do seu quarto, ela pode até chorar, mas na frente das outras pessoas, o seu sorriso continuará sendo o mais contagiante. Ela possui um brilho especial, ela sabe o valor que ela tem e tudo o que foi para ti. Ela é teimosa, não descarta a felicidade em hipótese nenhuma. Ela cansou de te dar todo o tempo dela, enquanto tu a dispensavas por meros contratempos. Sem ti ela segue solteira, mas não sozinha. Ela não vai sair por aí desesperada para beijar outra boca, também não vai entregar-se para o primeiro que tentar. Ela é discreta, prioriza outras coisas no momento. Ela não desistiu de amar, apenas precisa de um tempo para si. Ela amanhece cada dia mais esperançosa, continua acreditando nas pessoas e no que elas dizem. Mesmo que já tenha quebrado muito a cara, ela continua disposta a arriscar. Ela não tem medo de tentar. De vez em quando, ela apronta e o seu fígado é quem paga a conta. Mas ela continua seguindo em frente, porque sabe que atrás sempre vem gente. Ela é quem vai perdurar nas tuas frustrações amorosas. Tu deixaste-a escorrer por entre teus dedos.... Tu poderias ter sido tudo, mas preferiste ser só um relacionamento que não chegou a lugar nenhum. Tu poderias ter somado, mas preferiu subtrair. Ela não aceita migalhas, não tem mais paciência para gente que não sabe o que quer. O problema não é ela, és tu. Enquanto tu não souberes aonde queres chegar, qualquer caminho será válido.... Uma pessoa inteira não merece outra pela metade. Ela foi uma chance boa, daquelas que a vida não oferece duas vezes.”

Que é quando você sabe que você encontrou alguém realmente especial
Quando você pode simplesmente calar a boca por um minuto e confortavelmente compartilhar silêncio

Signos determinam relações




Pois então... o título desse post é uma pergunta. Eu somente não inseri a interrogação final, por um efeito de redação: chama mais atenção. E fez, provavelmente, você chegar até aqui.

Esse texto vai falar um pouco sobre astrologia, mas não é a intenção principal. O que busco mesmo, é uma linha de raciocínio, ligada a personalidade com base nos signos.

Se você é daquelas pessoas que são intensas, que se entregam às relações, já deve ter observado que as características dos signos têm muito a ver com os donos dos mesmos.

Sim, eu sei que as pessoas são diferentes, e nem todos librianos, aquarianos ou sagitarianos são iguais. Mas se você observar bem, verá que existem padrões de comportamento similares.

De que vale isso, caso você não acredite? Bem, se não acredita em nada nunca, a questão é sua, fique bem. Mas pense um pouco. Liste as características de alguém que conhece. E repare se a designação dessas características, em geral, não a encaixam em um signo específico.

Mas daí, se nascemos assim, podemos mudar? Claro que sim! Sabendo nossas características, melhoramos e ampliamos aquilo que é bacana, e aperfeiçoamos aquilo que não é tão bacana. Isso é auto-conhecimento.

E ok, caso você não aprecie um determinado signo, por questões de suas características, está destinado a nunca casar com quem tem a sina de nascer sob esse signo? Claro que não. Pode sim. Desde que ele ou ela se conheça. E conheça seus limites. Auto-conhecimento. Trabalhando virtudes e não virtudes. Pode ser melhor para ambos.

E eu, tem algum signo que não me casaria?

Bem... tem um signo que já esgotei a cota de acreditar. Vou passar as características e vamos ver se você adivinha qual é?

"Costumam ser exagerados e acabam prometendo mais do que podem cumprir.

Podem parecer irresponsáveis e muitas vezes são, porque acabam por prometer coisas que para os outros podem ser muito importante e criar expectativas que nunca poderão ser cumpridas.

Esse padrão meio esquisito ou meio “metido” de comportamento pode ser foco de muitas discórdias em seus relacionamentos mais importantes, pois pode levar à perda de confiança.

É arrogante e julga ser o dono da verdade. Orgulhoso, quer sempre ser o alvo das atenções. Sua frequente inquietação o leva a perder coisas ou pessoas que foram conquistadas com dificuldade. Pode se tornar irresponsável e desperdiçador. É contraditório e descuidado. Seu maior defeito: Exagero e arbitrariedade.”


Pois então... sabe que encaixa perfeitamente? Cheguei a me emocionar, ao ler. Pois então.

PS: Não adianta mandar carta, dinheiro, perfume do Dolce e Gabanna. Eu não digo nem sob tortura de que signo estou falando. Tadinho... vai que gera propaganda negativa, né mesmo?

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Que tipo de mochila é você?



Uma amiga minha teve uma bela citação, que me inspirou em escrever. É a Mochilinha de Bons Sentimentos.

Mandando o que é do bem. Especialmente, para quem é do bem.

Sim, mas só para quem é do bem? Olha... sei que a gente deve desejar o bem a todos. Mas na boa... quando nos fazem mal, sacaneiam, traem ou ainda fazem coisa pior... é difícil, vamos combinar.

  • Você consegue perdoar de imediato quem mata alguém que você ama, sob qualquer grau de parentesco?
  • Consegue perdoar um amigo que fica lhe devendo grana ou qualquer coisa que tenha pego emprestada?
  • Consegue perdoar uma traição de namorado, noivo, marido ou qualquer pessoa que você tenha se dedicado?
  • Você consegue não gerar expectativa em promessas ou perspectivas alimentadas por outros, seja em projetos, empregos, amores?


Na boa... parabéns se sua resposta foi SIM em qualquer uma das questões. Ao menos, SIM imediatamente. Sem trabalhar isso em você.

Na boa? Acredito nisso:
 
Quem nos engana, normalmente é tão idiota, que não percebe que o fez. Ou busca desculpas para o que fez. Idiota em dose dupla. 
 
Entenda de uma vez por todas: o corpo é importante porque nos carrega. Mas não somos um corpo. Somos uma alma. Ao menos, se você não é um espírito andante.
Se você não resolver o seu passado, se não consegue falar sobre ele, ele sempre permanecerá com você. E nunca será passado. Será um bichinho chato incomodando o presente e impedindo um futuro promissor. Inclusive dos que estão com você. Exorcize seus fantasmas.

Você é uma Mochilinha de Bons Sentimentos ou você é um MOCHILÃO DE EGOISMO?

Se você é um idiota irresponsável, sem perceber que somos SIM, responsáveis pela geração de sentimentos nos outros (não seja um manipulador egoísta!)...
OU
Se você é mais corpo que alma, sem conteúdo e fútil, um poço sem fundo e vazio...
OU
Se você não consegue libertar-se de seus sentimentos e inseguranças do passado e entregar-se de verdade nas suas relações presentes, dedicando-se e sendo honesto de fato...

Se sua resposta é SIM a qualquer uma dessas últimas três questões... VOCÊ É UM MOCHILÃO DE EGOISMO.

Boa sorte nas suas curtas viagens.

Você quer continuar e meu voto


Tudo vira polêmica. Tudo.
Cruuuuuuuzes!
Cada dia é mais difícil viver... tuuuuuuudo vira polêmica! Hello. Daqui a pouco o jeito que se respira ainda vai viralizar. Opa, já???


E QUER ALGO MAIS POLÊMICO QUE POLÍTICA? Por isso, passe essa proposta a seus candidatos:

“QUER MEU VOTO?
Estou a procura de um bom candidato para votar. Pode responder essas questões?
1) Qual sua formação acadêmica?
2) Tem experiência em administração?
3) Você possui renda suficiente para não precisar da política para sobreviver?
4) Você sabe qual a função de um vereador e de um prefeito?
5) Já dirigiu alguma empresa?
6) Qual seu grau de experiência em humanas e exatas?
7) Qual seu nível de conhecimento da Constituição Federal?
8) Conhece a Lei Orgânica do Município?
9) Tem autonomia para votar em conformidade com as reais necessidades do município ou está subordinado à interesses partidários?
Precisamos de menos partidos e mais pessoas na política.
Pessoas que realmente, conhecem POLÍTICA. ECONOMIA. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA.
E com menos interesses pessoais ou com posturas somente simpáticas ao povo.
Só assim, poderemos construir cidades, estados e um país mais dignos, justos e produtivos.”


E boa sorte!

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

A morte do amor e traição


Eu vi um texto que gostei muito. De uma fanpage (Facebook): 100% Black. Transcrevo aqui o texto, na integra, pois vale a pena:

“Se eu perdoaria uma traição? Claro! Meu coração é nobre e sempre há perdão nele. Eu diria: “Amor, eu te perdoo”. Depois juntaria minhas coisas e nunca mais apareceria, mas eu perdoei, tá? Acho que não existe nada pior do que uma traição. Se dedicar, se entregar, amar a alguém e esse alguém te trair. “A carne é fraca”, justifica. A carne é fraca, mas eu sou forte e não mereço alguém assim do meu lado. Tudo bem que há os modernos que vivem em relacionamentos abertos. Se eu acredito em relacionamento aberto? Acredito! Relacionamento aberto, aberto ao fracasso, aberto ao fim, aberto a mágoa, aberto a toda falta de reciprocidade e dignidade sentimental que se possa imaginar. Afinal, o que é mesmo amar? É escolher uma pessoa entre milhões de espécies disponíveis no mundo e elegê-la ao cargo máximo de estar única e exclusivamente ao seu lado. Se é pra ficar comigo e com mais todo mundo que aparecer na reta, eu prefiro ficar só! Em uma traição não importam os motivos de quem traiu, mas a dor de quem foi traído. Se traiu porque sentiu-se atraído, sinto muito, mas eu não sabia que estava namorando um imã que atrai tudo e todos, portanto, controle-se! Se traiu porque passou a gostar de outra pessoa, lamento, mas você não é nenhum líder religioso que é obrigado a amar a humanidade e, se fosse, isso excluiria o contato sexual. Traição não é oportunidade, nem escolha, é caráter. “Caráter é uma linha reta, não faz curvas”. E se você gosta de andar em círculos, ande sozinho. Faça um exercício: toda vez que sentir vontade de trair, lave uma privada, pra você lembrar que toda traição termina assim: em merda. E no amor não basta apenas dar a descarga! A questão não é ter tudo, é escolher alguém e fazer dar certo. E se você não está disposto a ficar com uma pessoa só, sinto muito te informar, mas o seu destino é morrer sozinho.

Passeando um pouco mais na página que citei, encontrei esse:

“O amor nunca morre de causas naturais. Ele morre porque as pessoas não sabem reabastecer a sua fonte. Morre de erros, traições, e orgulho. Morre por causa das feridas, mágoas, infidelidade, fome de carinho, e tristeza; morre pela falta de diálogo, não cumprimento das promessas, e falta de disposição de resolver os conflitos.

Esses dois textos traduzem um pouco do que penso do amor e das relações românticas/emocionais. Ando pensativa. Já penso muito naturalmente. Decepção e dor nos fazem pensar mais. E pelo que percebi, os textos foram escritos por um menino/homem.


Pensar que ainda existam homens que pensem assim, me dá esperanças no mundo.

O que é ser SCORPIO


Conheço gente que tem medo dos SCORPIOS. Não entendo. Na boa. Tudo que um SCORPIO quer, se resume em duas palavras: 

INTENSIDADE
+
VERDADE

Como pode alguém não gostar disso? 
E olha algumas imagens que definem o que os SCORPIOS acreditam:

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Os Estranhos dos Entas


Hedonismo e os Estranhos dos Entas

Ótima matéria, leia depois de ler esse meu texto: http://istoe.com.br/351249_OS+NOVOS+50+ANOS/

Os novos jovens de 50... começar de novo e de novo, adaptar-se às mudanças. Mas o que não pode, é fortalecer somente o corpo e o bem estar e não aperfeiçoar a alma, os valores. Isso... é retroceder.

Hedonismo no limite certo. 
Essa é a grande medida e pedida.

Mas com essa idade, a gente pode cair ou fazer cair no conto do vigário? Todo mundo já caiu no conto do vigário. O conto do vigário é se fazer de santo, e de santo... só o pau oco. Literalmente, às vezes.

Sim. Você, eu, qualquer um. E quando achamos que já passamos por tudo, estamos madurinhos e não caímos mais... ou que pessoas mais maduras não sacaneiam... EITA.

Aí é que mora o perigo. OS ESTRANHOS DOS ENTAS.

Conheço jovens inconsequentes, imaturos, irresponsáveis, inseguros e indecisos. Mas quando junta tudo isso em uma pessoa com mais de quarenta... hello. HEEEEEEEEELLO.

E fica a dica sem hashtag: observe mais. Não julgue porque alguém tem certa idade, que seja confiável. Os piores cacacas que conheço, tem mais de 40 aninhos. Mas na verdade, por trás dessa “sacanagem pré-anciã”, existe o que chamo “as características dos bobinhos do i”. Ou, os ESTRANHOS DOS ENTAS (EE).

Vamos pensar um pouquinho (Telecurso Segundo Grau)?
Esses são os EE´s:

INCONSEQUENTES: Apregoam tanto o “quero viver e ser feliz”, que podem acabar um pouco à la loka
IMATUROS: Emocionalmente sem foco, vão levando a vida do tipo da música do Zeca Pagodinho, “Deixa a vida me levar”
IRRESPONSÁVEIS: Egoístas incorrigíveis, pensam em seu próprio umbigo e só
INSEGUROS: Em função de suas próprias inseguranças (de todos os gêneros, inclusive...), preferem agredir ou fugir a encarar
INDECISOS: Acham que podem construir relações como se tivessem 25 anos. Não c.... nem desocupam a moita

E de quebra, os EE´s tornam-se insuperáveis na arte da manipulação emocional. Simplesmente porque para eles, beirando a dita época que deveriam estar mais sábios, abrimos a guarda. Por isso, a esses seres estranhos dos 5 “i´s”, resta procurar pessoas com menos experiências ou com menos anos de vida... quem sabe a essas, ainda impressionarão. E elas, por sua vez, se cobrarão dos bobinhos, por nós. As Entas Meninas Poderosas. Que podemos ter nossa fase de “Enta Anta”. Anta, sim. Mas só uma vez.

Tá bem, não vamos generalizar. Homens maduros e seguros, com uma experiência rica de vida, com conquistas profissionais e de carreira, com realizações pessoais e histórias concretas, passado bonito construído, amizades construídas solidamente inclusive com suas ex esposas, namoradas e affairs com belas histórias, que não escondem você de suas vidas, não se encaixam nessa generalização. Homens bem resolvidos são outros quinhentos. BEEEEEEM OUTROS. Homens que sabem o que querem, sem grandes dúvidas ou necessidade de uma falsa liberdade. Liberdade nessa época da vida? É o eterno conquistador dos sete mares? Quando perceberá que a vida não é feita de EU+EU, e sim, de EU+TU?

Existem belos exemplos de belos ENTAS. 
Dos 40, 50, 60 e adiante.

E por que a imagem inicial desse post (tirando o erro de português/você/tu)? Dica dois: o passado do seu candidato a lindinho, conta muito. Saiba suas histórias do passado. Ele é amigo das ex? Ao menos duas ex falam bem dele? Ele abre sua vida para você? O que ele posta nas redes sociais tem conteúdo ou é puramente futilidade? Que tipo de amigos ele têm? Quais os seus projetos de futuro? Ele percebe os erros de suas relações anteriores, e consegue falar abertamente sobre elas? 


Quem não consegue falar livremente de seu passado, ainda está lááá atrás. Nele. Preso a ele. Porque aprendemos com nossos erros, sempre.

E opa, seu bobinho de plantão parte 1: Antes que diga que isso não é um contrato, e que relacionamentos amorosos não são empregos... hello. Em que planeta MIMIMI você vive? Claro que toda relação é uma relação de encontros. Mas a medida que se amadurece, se percebe que relações são sim, mais que “um encontro casual”. Aí é que está. Relações são um contrato à futuro. Por isso, conheça o passado da criatura que você pretende como seu. E nunca se iluda: idade não é atestado de bom caráter. E honestidade, se prova na prática. Não nas palavras.

E opa, seu bobinho de plantão parte 2: Antes que diga que isso são palavras de outra ENTA “mal resolvida”, se liga... as mulheres estão mudando a muito tempo. E se adaptam a essas mudanças com maior facilidade. Porque tiveram que enfrentar muitos outros desafios anteriores: mostrar-se ótimas profissionais e excelentes amantes, além do desafio das mulheres das gerações anteriores, que foi provar que mulheres vieram ao mundo não somente para procriar.

E de presentinho, dicas úteis para você que quer se arriscar na grande aventura de namorar um ENTA 
(Boa sorte, que não seja um ESTRANHO ENTA):

- O que ele fala das ex? Elas sempre tinham problemas? Alguma delas tinha caraterísticas legais? Ele as elogia? Se for algo positivo = 5 pontos para ele.
- As experiências que ele lhe conta são sempre as mesmas? Se ele começa a se repetir, é sinal que tem pouca experiência. Se tem pouca experiência, sinal que não se entrega = – 10 pontos para ele.
- Ele justifica falhas que tenha com você com algo que você faça? Falo de falhas... bem, você sabe. Estamos falando daquilo que todos gostam ou deveriam gostar. Se o lance não é bom, a “culpa” não é sua. Nem tão pouco é falta de química. É falta de prática. E falta de prática, depois dos 40... desculpa... = – 30 pontos para ele.
- Que tipo de amigos ele tem nas redes sociais? Fúteis e sem grandes objetivos, que postam só questões rasas da vida? Essa é a forma como ele de fato, pensa. Não adianta justificar que ele aceita “todos os tipos de inteligência”. Os iguais se atraem. Dize-me o que postas, que te direis quem és = – 5 pontos para ele.

E então... resultado negativo? Bem, não me venha com “mas”. Aliás, “mas” é uma expressão que os ESTRANHOS DOS ENTA gostam de falar.

Mas olha... se mesmo com mais de 40 você cair no conto do vigário... não se abomine. Levanta e vai seguir o mundo. Todoooooooo mundo um dia foi trouxa. O que não pode é ser trouxa, o tempo todo. Se você amou quem não lhe merecia ou não valorizou o quanto você pretendeu construir com esse estranho enta, lembre: existem muitos bons atores globais fora da Rede Globo. E não venha dizer: eu avisei. Afinal, dissonância cognitiva é coisa séria... e às vezes achamos que pode ser temporária. Mas em alguns casos, creio que não. Depois que cai a ficha... NO CREO.

Tudo passa. E literalmente, passa. 
Para quem nos deve por não ter agido corretamente... bem... isso, eu já não sei.  

Como disse uma amiga, esses ESTRANHOS DOS ENTAS, na real, são os “HOMENS BEBÊS”. Culpa de nós, meninas. Das mães dos criaturas e de nós mesmas, que mimamos demais os criaturas. EITA.

EBAAAA! Bom te ver!


Penso, logo, existo. E... se você está aqui, quer saber como eu penso. Se quer saber como eu penso, no mínimo, é curioso.


Curiosos ALOHA fazem bem para o mundo. Então, é nós no mundo, porque não viemos aqui a passeio!


Busco uma visão de longo alcance, sem aceitar verdades absolutas, preservando valores ALOHA, que são o ideal para um mundo mais honesto e verdadeiro.

Assuntos desse blog

Siga-me por email